Comunicar na Web

Breve artigo para a revista Noesis (Direcção-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular, Ministério da Educação), de Junho de 2009.
As Redes da Rede

As Redes da Rede

Breve artigo para a revista Marketeer n.º 152, de Março de 2009, a partir duma comunicação oral apresentada nas Jornadas de Comunicação do Departamento de Comunicação do INP sobre redes sociais e Web 2.0.
«Don’t Worry, Be Happy!»

«Don’t Worry, Be Happy!»

Breve artigo para o caderno P2, do Público de 19 de Setembro de 2007, sobre os 25 anos dos emoticons. Público, Caderno P2, 19 de Setembro de 2007

A Rivalidade da Sombra

Breve artigo para o Jornal de Letras, Artes e Ideias de 15 a 18 de Agosto de 2007 sobre o Second Life.

Entre Buzzwords e Tagclouds

Artigo para a revista online Interact #14, sobre Web 2.0, folksonomia, tags e tag clouds.
A Misreading Gone too Far

A Misreading Gone too Far

It is widely known that Jean Baudrillard, in Simulacres et simulation, acknowledges Philip K. Dick as one of the first to reflect, albeit fictionally, on the concept of “simulacrum”. However, a more detailed analysis of how dickian are Baudrillard’s concepts and theories remains to be done. That is the goal of this article, a task we undertake by distinguishing, on the one hand, the concepts proposed in L’échange symbolique et la mort and Simulacres et simulation, and, on the other, the radical turn inaugurated in Le crime parfait. É sabido que Jean Baudrillard, em Simulacres et simulation, reconhece Philip K. Dick como sendo um dos primeiros a reflectir, ainda que através da ficção, sobre o conceito de “simulacro”. Contudo, uma análise mais pormenorizada a quão dickianos são os conceitos e as teorias de Baudrillard é algo ainda por fazer. É esse o objectivo deste artigo, tarefa a que nos propomos traçando uma distinção entre, por um lado, os conceitos propostos em L’échange symbolique et la mort e Simulacres et simulation, e, por outro, a viragem radical inaugurada em Le crime parfait.

Ler nas Entrelinhas

Desde há algum tempo, tem sido anunciada a iminência de uma versão 2.0 da World Wide Web. Juntamente com a expressão, encontramos toda uma constelação de práticas que supostamente lhe dão corpo. Dos simples modismos visuais à separação entre apresentação e conteúdo, dos feeds aos mashups, ao social bookmarking, às folksonomies e a formas de produção colaborativa como a Wikipedia, procura-se neste artigo não só identificar o que atravessa todos estes conceitos como também perceber o que os distingue — se há de todo alguma distinção — daquilo que Tim Berners-Lee originalmente ambicionava para a WWW. Publicado na revista Mono, n.º 1 («MonoDisperso»), Porto, Editora da FBAUP, Junho de 2007.
Nos Labirintos do Fantástico

Nos Labirintos do Fantástico

Breve artigo para a revista Cais, de Abril de 2007, sobre o filme O Labirinto do Fauno.
Wishful Thinking ou Golpe de Misericórdia?

Wishful Thinking ou Golpe de Misericórdia?

Por mais que deva assumir-se uma perspectiva crítica relativamente a conceitos como os de «sociedade da informação e do conhecimento» e «inteligência colectiva», é inegável a importância da World Wide Web como fonte de acesso à informação, nomeadamente a informação científica destinada ao público leigo. Tendo em conta a crescente importância da Wikipedia como ponto de partida privilegiado para esse objectivo, procura-se neste artigo avaliar algumas asserções que têm sido apresentadas em sua defesa, nomeadamente através de uma comparação do rigor científico e da clareza de algumas entradas das versões inglesa e portuguesa da Wikipedia. Publicado na Revista de Comunicação e Linguagens, n.º 38 («Mediação dos Saberes»), Lisboa, Relógio d’Água, Dezembro de 2007.
Cold Equations

Cold Equations

Ainda que não haja uma forma inequívoca (i. e., algorítimica) de «extrair» o sentido da obra de um autor através de um simples processo de categorização, tal tarefa pode ser em parte levada a cabo num género como o da ficção científica, dado que os seus temas e protocolos constituem um conjunto relativamente estável. Com efeito, já foram várias as tentativas de analisar a SF em geral (ou um autor em particular) a partir de uma classificação dos seus subgéneros ou temas (ou identificando a presença ou ausência desses temas na obra desse autor), mas não existe qualquer consenso, o que talvez se deva à natureza dedutiva ou «de cima para baixo» de tais categorizações. Este artigo propõe, em vez disso, uma abordagem «de baixo para cima», indutiva, abordagem essa que procura combinar a solidez de um ponto de partida quase canónico (as «entradas temáticas da Encyclopedia of Science Fiction, ou ao menos um subconjunto relevante dessas entradas) com a flexibilidade que consiste na fusão dessas categorias e na adaptação destas a instências mais específicas. A obra de Philip K. Dick é aqui usada como ilustração desse método. Comunicação apresentada na conferência SFRA’2006, sob o tema «When Genres Collide» (White Plains, Nova Iorque, organização da Science Fiction Research Association), a 23 de Junho de 2006, posteriormente publicado in Thomas J. Morrissey e Oscar de los Santos (orgs.), When Genres Collide, Waterbury (CT), Fine Tooth Press, 2007.
Powered by WordPress | Fluxipress Theme